16.8 C
Curitiba
quarta-feira, 03, março, 2021 | 11:47:53 AM

Lupin

É inegável que histórias que contam com criminosos que, além de serem reis dos disfarces, possuem mentes brilhantes e charme sem medida, fascinam a audiência. Haja vista a trilogia de Ocean’s Eleven, que tem Clooney, Pitt e Cia. Ltda. como a quadrilha mais guapa e elegante da telona.  

E quando ainda a história recebe a inspiração de um dos personagens mais lendários da literatura francesa, “O Ladrão de Casaca”, o enredo ganha um je ne sais quoi que seduz geral.  

O Netflix, esperto que só ele, trouxe para os tempos atuais a releitura deste clássico de Maurice Leblanc, que tem como protagonista Arsène Lupin. Nos tempos atuais de Lupin, o carismático ator Omar Sy vive Assane Diop, um imigrante senegalês que viu na adolescência seu pai ser acusado injustamente pelo roubo de um colar quando ele era motorista de uma família rica. Antes de ir para a prisão, seu pai lhe deixa de presente um livro de Arsène Lupin. 

Para definir a grandeza de Lupin, tomo emprestada a resenha da edição de bolso do livro francês, que diz o seguinte: “Brilhante, audacioso, sedutor, mestre do disfarce e do jiu-jítsu, Arsène Lupin é a irônica resposta francesa a Sherlock Holmes: um ladrão refinado e anarquista, espécie de Robin Hood da Belle Époque.” 

Os anos passam e Assane se torna um ladrão inteligentíssimo, astuto e incrivelmente camaleônico. É possível ver a influência de Lupin em seus atos (e golpes) nitidamente. Porém, o que nosso golpista preferido busca mesmo é provar a inocência de seu falecido pai. 

Mesmo com causa tão emotiva, a série é leve e viciante. Eu assisti aos cinco episódios em dois dias. A pegada de gato e rato constante tem grande mérito nisso, mas a atuação do protagonista Omar Sy merece menção. Afinal, ele encarna as diversas identidades com versatilidade e convencimento. O  combo inteligência x vulnerabilidade é bem equacionado no personagem. 

Com tantas qualidades, Lupin teve 70 milhões de views nos primeiros 28 dias. Surfando na onda da popularidade, o Netflix anunciou ontem, através de suas redes sociais, que a segunda temporada estreia ainda em 2021. Em um post deveras inteligente e que lança mão da aura de mistério de Lupin, há um jogo interessante de letras e números que os fãs do personagem viram – subliminarmente – que a data é 12 de maio. 

Se os “detetives” da rede estiverem certos, em quatro meses veremos como foi o desfecho do episódio final, que terminou em aberto e deixou a audiência atônita e aflita. 

Contando os minutos… 

A série é surpreendente. Recomendo. 

Artigo anteriorPieces of a Woman
Próximo artigoMank

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Ambiente de Incerteza se mantém.

Em meio à apreensão em torno da instabilidade da equipe econômica, ainda é cedo pra falar em...

A escavação

Em 1926, um aristocrático casal inglês, Frank e Edith Pretty, adquiriu uma propriedade rural com estranhas formações...

O tigre branco

Com delay de 72 horas, o texto desta semana sai na segunda, por motivos de agenda e...

Filho feio não tem pai

Liberais ignoram a realidade para não se responsabilizarem pelo nosso desastre econômico Recentemente, a economista Zeina Latif publicou um...

Realidade Imposta: as revelações trazidas à tona pela pandemia.

A pandemia do novo coronavírus, que já vitimou mais de 230 mil brasileiras e brasileiros, escancarou diversas facetas outrora não percebidas ou...
1,172FansLike
34FollowersFollow
300SubscribersSubscribe
Curitiba
nuvens quebradas
16.8 ° C
17 °
16.7 °
100 %
2.1kmh
75 %
sáb
25 °
dom
22 °
seg
28 °
ter
28 °
qua
26 °

Artigos Relacionados